As ondas corretas para se surfar.

O treinamento físico é composto de fases.  Essas fases são muitas vezes repetidas ao longo de um ciclo e a performance e os tempos sofrem grande alteração. Contudo o treinamento também tem grande importância na esfera psicológica. Essa sim, apesar da enorme variação de desempenho, não tem muita semelhança com o treinamento físico.

Período preparatório, competitivo, tempo de treinamento, anos que pratica a atividade física, maturação do corpo, flexibilidade,  condicionamento físico  e força são variáveis que e influem diretamente nos seus tempos em segundos e minutos  no treinamento.  Fato consumado.

Vontade de vencer, de treinar, competir, determinação, estresse diário, satisfação com nível de vida,  rendimentos x gastos,  contas a pagar,  falta de tempo, má alimentação são variáveis ainda maiores que influenciarão seus tempos em vários segundos, vários minutos e até horas na hora da prova. Sem contar no nível aumentado de lesões e problema de saúde. Fato não muito salientado nos livros de treinamento, mas de veras importante.

A diferença entre a vitória e a derrota não é descrita em nenhum livro. É impressa no jornal desses dois pilares (físico e mental) aliada a grande fé em si mesmo. Fato real.

Falando um pouco sobre esses momentos de altos e baixos do treinamento, estresse cotidiano e fé em si mesmo podemos comparar com um surfista no mar e suas ondas perfeitas.

A previsão na tábua de marés aponta a altura das ondas. Podemos saber quando teremos maiores chances de surfar em ondas boas,  tal como temos a condição de programar um treinamento físico para se estar muito bem no dia da prova.  A preocupação em apenas surfar e não se desligar da atividade estaria associada à sabedoria em esperar pela onda correta (velocidade do vento, sequencia e formato das ondas), relacionado em grande parte pela paz interior e  graça com que o surfista encara as ondas. Ele gosta da atividade e têm ambição de pegar a onda que está se formando e vêm na sua direção.

Muitas vezes não há uma segunda chance. A onda veio, chegou e o surfista já está entrando nela.  O que realmente irá fazer que ele pegue ou desista já não são seus braços ou  habilidade, mas a fé em si mesmo.  Em saber que possui a capacidade para isso sendo a onda gigante ou pequena.  É enfim encarar com confiança a ação em si mesma. A razão de todo planejamento sendo realizada pelo presente momento.  Isso é medalha de ouro.

___________

Às vezes a onda não é muito boa, mas o surfista está preparado física e psicologicamente. (Fase do treinamento não propícia a provas, mas atleta compete com nível bom de performance).

Às vezes a onda é boa, mas o surfista não tem vontade e falta reação. (Fase do treinamento excelente, mas surfista cheio de informações sem valor para o surfe, acaba não pegando a onda, competindo com resultados fracos).

Às vezes a onda é boa, surfista tem vontade mas algo dentro de si deixa-o inquieto, sabendo que no fundo ele não conseguirá (performances medianas).

Por isso a lição de hoje é: 1º resolva suas pendências e goste do que faz. Curta o momento que esteja treinando e competindo. Seja sério, mas aproveite o momento. Isso faz com que você pegue todas as ondas, boas ou más e tenha resultados satisfatórios.  2º Tenha número suficiente de experiências para acreditar em  si mesmo. Treine duro e acredite que poderá vencer. Saiba onde se quer chegar e trabalhe pra isso:  isso reforça sua confiança. 3º Entenda que tem períodos do treino  que você estará melhor e outros estará pior. É importante ser equilibrado para entender essas diferenças e não desanimar no vales.  Já nos picos, aí sim o mundo conspirará a seu favor.

Bons treinos, boas ondas e leve sua melhor prancha para o treino de hoje!

Guilherme Manocchio