Pedalando mais rápido

 

O maior desafio de um ciclista, seja ele triatleta ou não, é conseguir passar sua força (energia) para os pedais e assim movimentar a sua bicicleta com eficiência. Para passar a maior quantidade de força possível, é necessário ter um bom ajuste de sua bicicleta.

Não existe um bike fit perfeito, mas sim o próximo do ideal para o momento do atleta  de acordo com sua capacidade de alongamento, cadência e comprimento dos membros e tronco. As duas principais regulagens na bike que vão lhe da um melhor desempenho são altura do selim e distância entre o selim e o guidão.

O desafio maior é ter uma pedalada “redonda” e confortável. E para saber se está pedalando com boa eficiência  e não perdendo potência em algum momento realize esse simples teste:   em um trecho plano, pedale para trás por alguns segundos e sinta as suas pernas… Perceba se não existe algum ponto “morto” no qual tenha que mexer o quadril para o lado ou mudar muito o ângulo entre o seu pé e a sua perna. Se isto estiver acontecendo, talvez o seu fit não esteja ideal.

Fale com seu técnico, e se precisar ajustar a altura do selim talvez você sinta um desconforto inicial,  pois pode ativar algumas fibras musculares que não estavam sendo utilizadas. Porém ao passar dos dias irá perceber que a  posição sua pedalada se torna mais consistente e gera menos fadiga ao seu corpo.  Gerando menos fadiga, é hora de acelerar!

kk

Acelerar a bike, significa lutar contra o vento. Este raramente estará a seu favor. Para vencê-lo, usamos a posição aerodinâmica que diminui a área frontal do impacto com o vento. Esta posição precisa ser confortável, afinal é muito utilizada em provas longas e será necessário permanecer muito tempo nela para obter um diferencial. De nada adianta ficar na posição “aero” por 5 minutos e passar 15 minutos aliviando o desconforto causado por ela.

Se sentir dores nas costas altere o avanço do guidão (mesa) e altura da mesma para uma posição que não sinta dores nas costas, nos ombros ou cause dormência nas mãos. Aqui entra o nível de alongamento do atleta. Quanto mais alongado, melhor e mais confortável será a sua posição.

A bike também sofre interferência do vento, principalmente na área das rodas, que sofrem muita turbulência. Para minimizar isto, existem as rodas aerodinâmicas que fazem mais efeito em velocidades mais altas.

Se deseja ter um melhor desempenho a um custo menor pode também procurar pneus e rodas mais leves. Outra boa idéia seria trocar o seu cubo por algum que tenha rolamentos de cerâmica que podem ser até 7 vezes mais “soltos” que um com rolamentos comuns.

Aproveite o dia de ciclismo com segurança em primeiro lugar e depois com o desempenho ao alcance de suas mãos. Opa, mãos e suas pernas!

 

José Ricardo Bileski