[framed_left img=http://www.manocchio.com.br/site/wp-content/uploads/2012/05/foto-ohdao1.jpg][/framed_left]

Espontaneidade. Explosão. Vida.

Três palavras pra definir um momento. E assim como ele e todos manocchianos Ironman cruzaram a linha de chegada.

Antes da largada eu já me sentia feliz por ser técnico de pessoas tão determinadas.  A Studio Triathlon filmou um pouco da história dos personagens da equipe e podem conferir isso através do facebook  http://www.facebook.com/#!/StudioTriathlon.  De antemão já digo que houve muita emoção e recompensa nesse ironman, até mesmo antes da largada.

De todos os personagens que poderia citar, um em especial me encheu de orgulho.  Foram 5 meses de preparação para maioria. 6 para mim e achei até demais. Mas um personagem teve 1 ano de treino. O seu nome é Guilherme Pisa Queiroz.  Foram 17kg a menos, incontáveis kms de corrida, ciclismo e natação.   52  finais de semana treinando ciclismo e corrida embaixo de chuva ou sol.  Pior que isso, TODAS as terças e quintas (100 vezes no ano)  ele acordava de madrugada para treinar mesmo sabendo que iria trabalhar 8 horas seguidas depois.  Esposa, trabalho, filha… O cara merece!  1 ano atrás ele não conseguiria fazer um triathlon olímpico, hoje é um IRONMAN em 12h25min! Que garra! Que missão e que vitória!   – 12h25

Outra pessoa muito querida pra mim foi a Ana Lídia Borba. Depois de um acidente que quase tirou a sua vida, ela mostrou uma determinação  gigante. Não sei como pode, mas a menina é a maior guerreira que já vi.  Nesse Ironman suas fotos estamparam um rosto determinado.

[framed img=http://www.manocchio.com.br/site/wp-content/uploads/2012/05/analidia.jpg][/framed]

Seu semblante pouco alterou mesmo com 2 pneus furados. Metralhou seus pedais. Não hesitou em hora alguma e isso pra mim vale mais que tudo.  Na corrida teve altos e baixos, mas por outro lado,  quem não tem? Parabéns por suas 10h12min  de prova Ana! – 10h12

José Lozano, primeiro Ironman em 10h50. Imagine o que não vai aprontar daqui pra frente?  Você foi monstro, melhorou seu pedal demais, passou a barreira das lesões que tanto que atrapalhavam e foi demais durante a prova. Parabéns. Se não fossem as cãimbras ia ainda mais rápido! – 10h50

Luis Goulart  você cresceu muito esse ano. Ficamos emocionados com seu depoimento para os amigos antes da prova. Você é um cara de ouro! 10h50

Márcio Roniak, completou a prova apesar de dizer “fui o cara que mais quebrou hoje, dentre todos inscritos”.  O importante foram as lições aprendidas. Sabemos que você tem potencial para abaixar de 9 horas, mas ainda não foi seu dia. Cãibras e dores, são passageiras. Sua determinação de cumprir a prova  é o que importa pra gente. Lembre-se se algum dia ficar  desanimado que não conheço alguém tão forte para treinar duro um dia após o outro.  Não consegui escalar de bike a Serra do Mar com você.  Ou seja, a força você tem, agora precisamos polir sua força mental e deixá-lo mais confortável com a prova. – 11h14

E por fim, Luiz Ohde foi um monstro. Trocamos uma palavra durante a prova e foi muito bom vê-lo em ação conquistando seu objetivo. Sem palavras para dizer como você é forte.  E mais forte ainda por nunca ter desistido de sua almejada vaga para o Havaí.  Outro detalhe é que muitas vezes treinamos bem e não competimos bem. Para estar muito bem na prova é preciso  muita energia mental além da parte física.   Você tem isso de sobra!   Mostrou isso pra todo mundo que assistiu. Mostrou não, transpareceu!  Por essa razão todos se emocionaram com sua chegada. Magnífico! 9h42

Ou seja para  Kona 2012 estamos com 2 atletas classificados, Hedla Lopes garantiu a vaga no IM África  e  Luiz Fernando Ohde (foto) que acabou de conquistar a sua vaga.  Se tudo correr bem, serei o terceiro classificado da lista (44o lugar no Kona Pro Ranking hoje).

Por sinal minha prova foi perfeita. Fui guerreiro com uma arma invisível em minha aura.  Meu coração ainda não se normalizou desde a prova da África, muitos batimentos acima do habitual. Mas tenho certeza que muitas orações foram feitas e além de minhas forças havia outras forças em jogo. Na hora fui um canal de energia e adoro sentir isso.   Fiz o melhor de mim, até mais do que pensei. Em resumo, esse quarto lugar pra mim foi uma vitória daquelas que são dignas de por em uma estante e apreciar a vida toda. Eu amo o triathlon e tudo o que esse esporte proporciona.  Adoro fazer parte da história desse esporte e ajudar pessoas muito importantes na minha vida a conquistarem seus sonhos.  Obrigado. – 8h29

Guilherme Manocchio