[framed_left img=http://www.manocchio.com.br/site/wp-content/uploads/2012/05/CONSISTENCIA-E.jpg][/framed_left]
Deixe-me dizer uma coisa: se você está no pódio é porque você foi consistente . Se existisse uma palavra para definirmos quem serão os vencedores, ou futuros vencedores, nos próximos triathlons seria: quem estiver sendo mais consistente nos treinos e nas provas. Principalmente tratando-se de alto nível ou em qualquer prova de Ironman.
Por quê? Porque nenhuma mudança no corpo humano ocorre repentinamente. E a persistência e a adaptação do corpo a novas intensidades e novos estímulos fazem de você mais rápido.
Mark Allen, uma das lendas do triathlon frisou que a única maneira que ele começou a ganhar as provas foi através da progressão no seu treinamento de corrida. E isso demorou anos. Como ele veio da natação e gostaria de correr muito bem, sua fórmula para achar o equilíbrio e atingir seu potencial foi através da consistência. Mark Allen fez isso por vários anos e até hoje foi um dos melhores maratonistas de Ironman de todos os tempos com tempos abaixo de 2h38. Segredo? Não, na realidade era sua pior modalidade. Acabou virando sua arma mortal por anos de treino sem lesões, vários km rodados e muitos estímulos aplicados na hora certa.
No início ele disse que fez errado, começou a colocar longos de corrida de 2 horas , e correr 6 vezes por semana sem base suficiente pra isso. Continuou fazendo isso por dois anos consecutivo logo no início de sua carreira. O resultado? Lesões repetitivas, alto estresse corporal e maus resultados nas provas.
Entao ele decidiu que correria muito, mas de forma organizada e sensata. Não aumentaria mais de um aspecto no seu treinamento de cada vez e nunca mais de 10% em relação período anterior. Evitaria sobrecargas extremas, as quais ele ainda não havia se acostumado, e melhoraria um aspecto do seu treinamento a cada período. Exemplo : um mês ele trabalhou em apenas correr 6 vezes na semana. Sem se importar com o tempo ou distância. No mês seguinte ele manteve os 6 dias e incluiu um treino mais longo. A última coisa que ele aumentou foram as sobrecargas específicas das sessões de treino, com tiros e treinos um pouco mais longos.
Esse foi um caso de um atleta profissional, já no caso das pessoas com trabalhos fixos fora do esporte as demandas da consistência devem ser adequadas. Por exemplo:
1. Treinar blocos de preparação sem perder mais de 3 dias de treino consecutivos.
2. Fazer os treinos naquele tempo que disponibilizou para isso.
3. Não temer perder um treino por estresse no trabalho, afinal um treino não significa nada no panorama geral,
4. Colocar algumas horas e metas realistas para seus treinos
5. Gostar do estilo de vida.
Algumas dessas afirmações parecem simples, mas na realidade são o pavimento da construção. O cimento que edificam sua casa, sua máquina, sua velocidade.
E que máquina pode ser essa! Já vi exemplos fenomenais. Já vi quem num dia quase se afogou para nadar 50m, no semestre seguinte, competir um triathlon com qualidade. Já vi pessoas pedalarem fraco e leve em qualquer subida pouco íngreme e no ano seguinte realizarem treinos de Serra subindo sentado na coroa maior (53 dentes). Já vi 27minutos em 5km se tornarem 20min em algum tempo. Já vi também um vigésimo lugar se tornar um primeiro através do esforço do dia a dia.
No meu caso, tive muitos problemas com minha natação na minha adolescência e início do triathlon profissional. Não tenho mais, se hoje quiser me dedicar algumas sessões a mais. Motivo? Durante 5 anos nadei 6x na semana mais de 4km por treino. Hoje já não faço tanta natação porque estou na mesma luta que tive na piscina para a parte do ciclismo onde acabei de levar outra lição (Ironman RSA).
Goste do que faz, faça sempre e com determinação e, portanto, seja bem sucedido. Frase simples, significado e lógica perfeita.
Guilherme Manocchio