Treinando por blocos, um pouco de psicologia e do motivo de nosso trabalho
Inicialmente, escreveríamos para mostrar a vocês apenas sobre como propomos o sistema de periodização que trabalhamos a fim de divulgar conhecimento, o que é sempre bom. Existem várias propostas que funcionam e queríamos compartilhar a nossa, que tem dado muitos resultados.  A medida que refletia sobre o assunto, divaguei que nada acontece por acaso sendo que o treino e a vida em sociedade precisam caminhar juntos, pois ambos demandam ação e podem sobrecarregar o indivíduo. Por isso, obviamente, a mente do atleta precisa estar focada, positiva, para haver um fluxo constante e sadio de performance no dia a dia.  Com isso em vista discorri sobre este e outros assuntos, como por exemplo, sobre o que nos move a propor um treinamento esportivo em primeiro lugar.


Sobre a periodização
Através de bastante estudo e meditação sobre como fazer o melhor treinamento de triatlo possível, analisando outros esportes inclusive, me deparei com o treinamento por blocos. Esse treinamento consiste em um período onde se explora uma valência física que influencia na performance humana, seguido de um bloco análogo de outra valência física que decorre do desenvolvimento da primeira, contribuindo para maximizar seu potencial. Em linguagem mais leiga, diga-se que são blocos postos em ordem para que ao fim de uma preparação se atinja o maior potencial.
Toda periodização está dependente de quantos picos haverá no ano, da duração do programa e do que precisa ser desenvolvido nesse período.  Quando comecei a periodizar por blocos, adequei o sistema ATR nesse conceito. ATR significa Adaptação, Transformação e Resultado. Permitindo de tal forma que cada bloco possa designar um pico, prova ou treino simulado, que nos deem dados. Essa análise permite estudo de potencialidades e serve de base para a preparação do que fazer a seguir…

Lógico, entenda que o triathlon é uma grande mistura… São três modalidades onde essas valências se articulam de forma dependente para o resultado final. Contudo há espaço para que cada modalidade possa ser analisada em sua singularidade, seus pontos altos e baixos e qual valência foi predominante, qual teve fator limitante, etc. Se faltou velocidade na largada da natação, se a potência do ciclismo foi boa, ruim ou variou demais, se a corrida foi inconstante por falta de força muscular, e por aí vai…
Sob uma outra ótica, um ponto de vista mais simples (nem por isso errado) o triatlo é uma única coisa e a performance em cada modalidade não pode ser segregada do resultado final. Principalmente se olharmos sob o prisma da psicologia esportiva…. Em um determinado dia, você compete por X horas. E esse determinado momento você está sob jugo de seu psicológico sendo bombardeado de informações e seu corpo desempenha em conjunto com sua treinabilidade física e mental.  Assim também avaliamos o todo. Se houve recuperação suficiente, qual o melhor polimento para cada um, se houve uma falta ou excesso de flexibilidade na rotina, entre outras inúmeras coisas.


Sobre a vida psicossocial do atleta
Tomando por base esses conceitos teóricos pensamos em como fazer o treinamento influenciar positivamente na vida das pessoas de forma prática. Nunca fazemos exigências, mas considerações, e fazemos o possível para que nossos alunos enxerguem os potenciais latentes, eles mesmos.
Queremos propor também “blocos de descanso”, blocos de “tempo para família”, “tempo para estudos”, enfim sabemos da quantia de atribuições que o ser humano moderno enfrenta e precisa estar bem, por isso o esporte é flexível para nós. Na realidade o esporte sempre deverá ser uma ferramenta da onde se obtenha forças para dominar a si mesmo e proporcione forças para tudo.  O triathlon é incrível para isso, com tantos desafios e tantos esportes combinados! E invariavelmente o atleta deverá lidar com a sua cabeça nos treinos, o que pensa, como programa seu psicológico e suas ações…
Como negar esse papel psicológico do esporte?  “Anima sano in Corpore Sano”.  Aqui, na Manocchio Team, damos valor inestimável a isso. Inclusive temos cerca de 15% amparados com a psicologia do esporte, por um projeto da Universidade Positivo. Ali, na Universidade, também realizamos treinos de natação e corrida na pista. O contato próximo com a psicologia transformou muitos de nossos atletas e proporcionou grandes avanços no esporte, inclusive para mim, como atleta. Autoconhecimento é fantástico, é como dominar uma arma, sua energia vital, e saber quando empregá-la. Na realidade, é essa área que mais aprecio desenvolver.  

O corpo pode somente um tanto. A mente pode qualquer coisa.

 

O que nos move
Gosto de reforçar que a máxima na nossa equipe não é exclusivamente performance atlética, mas sim, oferecer o melhor para aqueles que nos procuram. Oferecemos nosso máximo. Gostamos muito de compartilhar sonhos e vivê-los, multiplicando faíscas. Queremos que os atletas se sintam bem. Que tenham alegria em treinar. Que saibam apreciar as pequenas coisas, as pequenas vitórias no dia a dia. E que cheguem em casa satisfeitos por estarem ao lado de pessoas do bem e cheios de energia para o próximo passo.
Para nós o resultado profissional, um sonho atingido na carreira profissional é também como vitória ou um sonho vivido no esporte. Não fazemos a distinção entre uma coisa e outra, e, no fundo, a vontade é a coisa mais importante! “Aonde estiver seu Coração ao estará ali estará também o seu tesouro”.


Concluindo

Se trabalhamos com treinamento da melhor forma que entendemos ser possível, se nos empenhamos em cada detalhe e em cada programa de treinos, se nos apressamos a dispor os dias da semana de acordo com a recuperação imposta pela rotina, idade ou característica de cada atleta, o fazemos porque queremos contribuir para que essa pessoa seja bem-sucedida. Queremos que a carreira dela decole. Queremos que a vida profissional, a vida pessoal, a socialização do indivíduo dentro de um grupo seja fácil e positiva. Que seja uma alegria para ele treinar: uma caixa de ferramentas onde ele vá buscar o martelo, o prego e o alicate para conseguir trabalhar nas obras de sua vida. E depois de construído todo edifício, ele possa contemplar e apreciar.  
A busca pelo autoconhecimento e pelo desenvolvimento seguro de suas habilidades e potencialidades. Socializar com pessoas positivas e que o puxam para cima. Imagine um bloco de treinos onde a liderança caminha para o bem-estar e as falhas sejam apenas mais um motivo para acordar mais cedo no próximo dia.   Isso é o que propomos!

 

Texto da equipe Manocchio Team, por Guilherme Manocchio
Confiram nossos horários e agende sua aula experimental.