Sobre o treino físico.

 

É imprescindível  respeitar as zonas de treino. Sempre a maioria dos treinos deve se realizada em baixa intensidade, como uma pirâmide.  A base dela é o treino de baixa intensidade e  o topo da pirâmide em alta intensidade.    Se o treino que está realizando  parece  estar invertido entenda que não atingirá seu potencial máximo na próxima competição. O lado bom disso é que sempre é tempo para mudanças.

 

Aquecimento, soltura, treinos regenerativos… Tudo em baixa intensidade e contando a seu favor. Respeite isso.   Outro detalhe: os treinos de alta intensidade devem ser realizados com total dedicação, sem desculpas ou má vontade. Esse é outro indicativo para seu sucesso.

 

Agora a parte mental.

 

A segunda coisa que me vem a cabeça hoje é que existe duas situações diferentes para o atleta. A primeira é quando um atleta acha que vai conseguir um resultado exemplar. A outra é quando o mesmo atleta acha que terá dificuldades no caminho e provavelmente não atingirá o resultado. O detalhe é que para esse mesmo atleta nessa mesma ocasião, as duas coisas estão certas.  Exatamente.          O primeiro atleta terá sucesso e o segundo atleta terá dificuldades e não atingirá o resultado.

Explicando melhor. A nossa consciência sobre nosso comportamento dita nossas atitudes.  Nem pensamos nisso, mas a nossa consciência individual e nossa crença transforma nosso método de processar informação e responder à isso.  Acreditando no sucesso o atleta  “pensando A” considera qualquer empecilho como algo transponível.  E vai com vontade para ultrapassar essa barreira. Nem hesita. Ou o mesmo atleta “pensando B”  hesita, fica em dúvida, perde vigor e acaba não transpondo o mesmo obstáculo.

No mundo real é fácil de exemplificar, imagine agora um atleta pedalando de mountain bike.  No meio do percurso aparece um morro pequeno de 1 m de altura e muito íngreme. Para ultrapassar esse morro só mesmo em alta velocidade.  O modo de pensar A chega no morrinho e acelera a bike o máximo que pode e sobe com a inércia. Já o modo de pensar B faz o atleta hesitar, ele freia e perde a velocidade inicial, sua energia cinética diminui e por mais que se esforce durante o morrinho ele não vai conseguir subir de uma só vez. Terá que descer da bicicleta e empurrar até passar esse obstáculo.

Pense no seu sucesso e entenda como você está pensando sobre suas atitudes. Está disposto a fazer as coisas acontecerem? Você pensa com sucesso em suas reuniões de trabalho? Você acredita em você como esportista? Saiba que aí que reside toda diferença.

Seja sincero e descubra se trabalha em conjunto com seu sucesso. Com a “energia cinética” do sucesso ao  seu favor ou se ainda tem que trabalhar a respeito.

Não tem problema ter dificuldades com isso. São pouquíssimos que conseguem, mas pense: quer você ache que vai conseguir ou quer ache que não vai conseguir, ambos os pensamentos estão certos.

 

Se cuide nos treinos com o tanto de intensidade que se propõe. Foque no que realmente acredita e mude seu pensamento ao seu favor. Hábitos bons refletem atitudes boas e inclusive transforma medo em energia positiva.

 

Bons treinos,

Guilherme