Sou uma flecha.

Estou no arco já tensionado… O arco não é nada sem mim, como eu não consigo atingir meu potencial sem ele.  O arco é a disciplina.   O meu corpo,  o projétil a ser lançado.

A corda está retesada ao máximo:  a tensão faz com que os extremos do arco se verguem…

Disparo.

Corto o ar voando livre.

Milhares de km/h em torno de mim.  Não tenho tempo para pensar, refletir ou temer. Meu instinto me guia e assim sinto e aproveito a minha verdadeira natureza.

Sou um atleta

Sinto a pressão de exercer esse ofício. Meu corpo está no limite e proponho pausas para que ele ofereça todo seu potencial.  Minha vontade é a disciplina, meu corpo o veículo a ser disparado pelas pistas.

Meu corpo está polido, magro e forte. A tensão faz com que minha mente trabalhe ao máximo, preparando meu corpo para o que está por vir.

Largo.

Nado pelas águas em sintonia. Pedalo como um rasante e corro como se fosse um animal pela selva.

Os milhares de km já não significam muito. Não tenho tempo para pensar, refletir ou temer. Meu instinto me guia e assim sinto e aproveito a minha verdadeira natureza.

Sou um campeão

Não há pressão em ser, pois fatos apenas são. Há tensão, mão não pressão. Existe  apenas o prazer em competir e procurar novas disputas.

Sempre estou atrelado ao meu máximo.  O prazer que sinto pela disputa, as honrarias de batalhar justo e a emoção da disputa brilham por dentro e por fora, como uma lança incandescente.

Batalho.

Venço ou perco: não importa o resultado. Importa a guerra,  o caminho trilhado e o aprendizado. Meu instinto comanda, minha mente valoriza e assim percorro um caminho de justiça e paz.