Algumas palavras podem ser ditas. Outras sentidas. A mensagem corre escrita por ondas, atos e ações. Porém os ouvidos de quem ouve e responde a esses chamados faz toda a diferença.

Outra forma de pensar sobre a questão é quando alguém lhe reporta algo: seja ele atleta, paciente, cliente, seja numa oficina, num auditório ou numa clínica… Em resumo todas informações devem ser levadas em consideração. A pessoa deve falar apenas uma vez, e a informação deve perscrutar todo ouvinte e este deve tentar atentamente a entender a mensagem. Todas informações devem ser levadas em consideração. E não deveriam precisar ser repetidas.

Nem sempre somos perfeitos ao ouvirmos e agirmos. O discernimento pode acontecer, mas logo podemos também esquecer. Porém se a mensagem for realmente importante a informação será repassada de outro modo e duas vezes não se pode negligenciar.

Devemos também respeitar a todos. Aqueles que nos falam, que nos ouvem, que seguem as planilhas, que treinam… Quem fala é porque sente, e os sentimentos são o melhor presente que ganhamos na vida. Amor em primeiro lugar.

Professores: escutem seus alunos. Suas mensagens implícitas em seu olhar, sua respiração cansada e suas palavras ora sinceras ou dissimulas num cansaço evidente. Saiba o que fazer em seguida, esteja pronto para tudo.

Alunos: saibam ouvir seus corpos ao desempenhar as atividades. A exigência por melhora é dolorida, mas nada que sua mente não possa suportar. Quanto o corpo e mente não trabalham em conjunto traçamos uma estrada por um caminho sem virtudes. Ao contrário, se mente e corpo correm em mesma direção, haverá força e desempenho com máximo potencial.

Não pensem em intrigas, fofocas e coisas sem importância. Valorizem sim, a amizade, o bom senso e a tentativa de evoluir. Sejam olhos e ouvidos, postos em valores cheios de energia positiva.